17 julho 2011

Soneto do Remorso

Quisera eu morrer de arrependimento
Melhor do que suportar teu desprezo
Dissolver-me como poeira ao vento
Mas meu peito agora tem grande peso

A razão de todo o meu sofrimento
Meu grande erro, do qual não saí ileso:
A dúvida, mal que gerou tanto tormento...
Mas meu amor por ti permanece aceso

Não penses que para mim és qualquer
Chorei por ti, assim como fez Romeu
Seja, te imploro, mi’a amada mulher

Peço-te profundo perdão, amor meu
Tal sentimento pode reviver
Que isso ocorra, pois meu coração é teu...

Um comentário:

  1. Conselho: somente se arrependa daquilo que você não fez, ok?

    ResponderExcluir